Maximus ECF

O Maximus ECF diferencia-se pela extraordinária flexibilidade e facilidades nas operações e parametrizações, aliado à segurança e confiabilidade dos dados.

Toda nossa linha de softwares utiliza as mais avançadas tecnologias do mercado atual, acompanhando todas as novidades do mercado atual.

Ter um frente de caixa da Datasync Software significa ter um produto de alta qualidade, onde os varejistas irão consolidar de maneira segura o seu maior objetivo que é a venda para o usuário final.

Como funciona

Obrigatoriedade

O PAF-ECF é Programa Aplicativo Fiscal que faz interface com o Emissor de Cupom Fiscal, que serve para padronizar a forma como os sistemas de automação enviam informações ao FISCO. Por isso, toda empresa que hoje tenha obrigação de emitir cupom fiscal deve ter o seu software homologado junto a Secretaria da Fazenda, para que possa produzir um software dentro da legislação nacional e não traga problemas para a sua empresa.

Funcionamento

O ECF (Emissor de Cupom Fiscal) é um equipamento que tem por objetivo facilitar a emissão de documentos fiscais pelo estabelecimento comercial, em especial nas situações de venda a consumidor final.

Em linhas gerais, seu funcionamento é bem simples:

  • O caixa digita os dados da venda em um programa de computador (Aplicativo do Frente de Loja) ligado ao ECF;
  • Os dados digitados são enviados ao ECF;
  • O cupom fiscal é impresso pelo ECF em 2 vias. A primeira via, sempre em papel, é entregue ao consumidor. A segunda, para guarda do estabelecimento comercial, pode ser em papel (chamada de “Fita Detalhe”) ou em forma de arquivo eletrônico (chamada de “Memória de Fita Detalhe”), dependendo do equipamento. Atualmente os novos ECF comercializados somente trabalham com MFD.
  • Ao final do mês o contribuinte verifica por meio de relatórios emitidos pelo ECF o total a ser escriturado para fins de apuração do imposto a ser pago.

Fundamento: artigos 135, 251 e 252 do RICMS/2000, Portaria CAT 45/06, Portaria CAT-55/98 e artigo 18 das Disposições Transitórias (DDTT) do RICMS/00

Benefícios

  • Agilidade nas operações.
  • Eficiência nos processos operacionais.
  • Redução de erros humanos.
  • Redução de custos.
  • Confiabilidade das informações.
  • Melhor entendimento do consumidor.
  • Administração de informação para tomada de decisões.

Intervenção técnica

Intervenção Técnica é qualquer ato de reparo, manutenção, limpeza, programação fiscal e outros da espécie que implique remoção de lacre instalado.

Somente as empresas credenciadas pela SEFAZ do estado origem poderão efetuar intervenções no ECF, seja para reparo, para manutenção ou para programação. O usuário deverá contatar uma delas para que efetue reparos no ECF. Não é necessário a prévia comunicação à SEFAZ. Efetuados os reparos, a empresa que interveio no ECF expedirá o Atestado de Intervenção Técnica em Equipamento de Controle Fiscal incluindo-o no sistema da SEFAZ, via IDI e entregando uma via do atestado ao proprietário do ECF. Concluídos os reparos e estando o ECF em condições de uso, a empresa poderá utilizar imediatamente o equipamento sem que seja necessária autorização da SEFAZ.

DICAS IMPORTANTES

Escolha bem o modelo de Impressora Fiscal

Existem muitos modelos de Impressoras Fiscais com variadas especificações técnicas, dentre tantas opções é comum adquir um equipamento que acabe não atendendo às necessidades da empresa ou que seja melhor e mais caro do que o necessário.

  • Método de impressão
  • Velocidade de impressão
  • Resolução de impressão
  • Largura de impressão
  • Sistema de corte de papel
  • Acionamento de gaveta
  • Tamanho da Memória Fiscal
  • Número de reduções Z permitidas
  • Tamanho da Memória Fita Detalhe (MFD)
  • Dimensões da impressora
  • Conectores de comunicação disponíveis
  • Sistemas operacionais aceitos

Disposição da Fiscalização

O contribuinte usuário de ECF deve manter à disposição da fiscalização, pelo período de CINCO ANOS, em ordem cronológica:

  • Por equipamento, as bobinas que contêm as Fitas-detalhe, em ECF sem MFD;
  • O dispositivo MFD, em ECF com MFD, contados a partir:
    • do DEFERIMENTO DE CESSAÇÃO DE USO;
    • da data em que ocorrer o esgotamento da memória.
  • o Mapa Resumo ECF juntamente com os respectivos cupons de Redução Z e de Leitura X;
  • a Leitura da Memória Fiscal emitida ao final de cada período de apuração, que deverá ser anexada ao Mapa Resumo ECF do dia respectivo.

Utilização de documentos emitidos por ECF

Na circulação de mercadorias para entrega no domicílio do adquirente, situado neste Estado, os documentos emitidos por ECF poderão ser utilizados, desde que contenha:

  • CNPJ ou CPF do adquirente, impresso pelo ECF em seu anverso;
  • Nome e o endereço do adquirente, bem como a data e a hora de saída das mercadorias, em seu anverso;

Lembre-se

ATENÇÃO. Pode-se dizer que o equipamento está em situação irregular quando não estiver:

  • Autorizado para o uso fiscal;
  • Devidamente lacrado;
  • Com adesivo de autorização afixado. E ainda quando estiver:
  • Sendo utilizado em estabelecimento distinto daquele para qual tenha sido autorizado;
  • Sendo utilizado em local que não seja o do estabelecimento para o qual tenha sido autorizado, salvo quando permitido pela repartição fazendária fiscal do estabelecimento usuário.