Maximus ERP

O Maximus ERP é um sistema de automação comercial, que atende diferentes segmentos do varejo, podendo ser configurado para atender as regras de negocio de sua empresa. Atuando hoje em inúmeras empresas de atividades distintas, conta com recursos como: Nota Fiscal Eletrônica (NFe), Cupom Fiscal (ECF) , Cupom Fiscal Eletrônico (NFCe), Controle de estoque, impressão de etiquetas, Contas a pagar, Contas a receber, Entrada de mercadoria ( Sendo possível importar XML das notas direto do site da Sefaz, permitindo cadastrar e configurar os itens na importação),Geração de boletos para os principais bancos, conciliação de cartões de crédito, entre outros.

O Maximus ERP foi desenvolvido nos mais altos padrões da engenharia de software, com uma estrutura de dados que garante estabilidade, confiabilidade e integridade das informações geradas sendo sem dúvida uma ferramenta imprescindível para automatização de seu estabelecimento comercial.

Como funciona

Cadastros de clientes e produtos

  • Análise de compras;
  • Ranking de clientes;
  • Controle de aniversariantes;
  • Análise e bloqueio de clientes por inadimplência;
  • Evolução de compras por período;
  • Controle de limite de crédito;
  • Referências comerciais.
  • Entrada e cadastro de produtos pelo ‘XML’ da Nota Fiscal;
  • Cadastro de produtos por: grupos, marcas e modelos;
  • Cadastro de produtos por grade: tamanho e cor;
  • Histórico de preços e fornecedores do item;
  • Alteração de preços;
  • Ranking dos produtos;
  • Controle de produtos não vendidos;
  • Controle de preços alterados;
  • Controle de validade dos produtos;
  • Patrimônio em estoque;
  • Giro de produtos por período;
  • Produtos mais e menos vendidos;
  • Inventário de estoque;
  • Fluxo de entrada e saída dos produtos;
  • Cálculo automático dos impostos: ICMS, SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA, IPI, COFINS e PIS;
  • Emissão de etiquetas e leitura de códigos de barras dos produtos.

Financeiro

  • Crediário;
  • Emissão de duplicatas;
  • Títulos a receber;
  • Títulos a pagar;
  • Caixa;
  • Controle de cheques;
  • Fluxo financeiro a realizar e realizado;
  • Controle de todos os cartões de crédito;
  • Cálculo de juros;
  • Impressão de boletos bancários pelo Sistema ou Banco com arquivo remessa/retorno;
  • Movimentação financeira diária da empresa referente as vendas;

Frente de loja

  • Dav;
  • Vendas em Stand by;
  • Pré-venda;
  • Múltiplas tabelas de preço;
  • Troca/ devolução;
  • Emissão de Cupom Fiscal – Homologado para vários modelos de Impressoras;
  • Emissão de Cupom Fiscal Eletrônico – NFC-e;
  • Terminal de Ponto de Vendas;
  • Saída por código de barras e teclado;
  • Dados do consumidor no cupom;
  • Atende a legislação vigente;

Outros

  • Impressão de código de barras de diversos modelos e com logo;
  • Dezenas de relatórios;
  • Comissão de vendedores;
  • Transferência de mercadorias entre as filiais;
  • Pedido de compras;
  • Integração com o Sistema Datasync NF-e e NFC-e;
  • Tabela de preço configurável;
  • Cálculo do preço de venda;
  • Integração com balanças;
  • Fornecedores (histórico das compras);
  • Relação dos produtos com estoque abaixo do mínimo;
  • Relação dos produtos com preços alterados por período;
  • Gráficos estatísticos de compra/venda analítico e sintético dos produtos;

DICAS IMPORTANTES

Escolha bem seu software

Escolha bem o software antes de instalá-lo. Parece básico, no entanto, muitas empresas não tomam os devidos cuidados nesta importante fase. A maioria das companhias não investe tempo para conhecer o fornecedor da solução, suas metodologias e tradição no mercado, além de nortearem as suas decisões apenas no custo. Também é recomendável procurar fornecedores que desenvolvam softwares especialistas, adequados para atender às necessidades de cada empresa, de acordo com o seu setor de atuação.

Treinamento é essencial

Reduzir sumariamente as horas de treinamento das equipes que utilizarão os sistemas, em função do investimento no projeto, pode sair muito mais caro do que se imagina. Treinamento é essencial, pois serão os colaboradores que utilizarão os softwares após a implantação. Lembre-se, a implementadora já conhece o produto e tem um prazo contratual para deixar a empresa apta a utilizar os programas contratados, porém todos precisam estar devidamente capacitados ao final deste processo. Não transfira a responsabilidade do sucesso do projeto apenas para o fornecedor contratado. A implementadora participa com todo seu know-how, porém o envolvimento de todas as áreas e gestores da contratante é fundamental.

Somente assim será possível usufruir de todos os benefícios que a utilização destes softwares oferece.

Dedique um tempo

A implantação de um ERP é um momento ímpar para que haja revisão dos processos utilizados pela empresa e eliminar os vícios adquiridos ao longo do tempo, além de evitar retrabalhos no futuro. Dedique tempo ou concilie um projeto de revisão de processos internos para que você mantenha o conhecimento da ferramenta perene em sua empresa, minimizando os impactos em eventuais trocas de equipe.

Monitore

Monitore constantemente o uso da ferramenta. É comum que, ao longo do tempo, os usuários, especialmente os que não participaram do processo de implantação, comecem a deixar de usar certas funcionalidades, voltando ao hábito de adotar planilhas e controles paralelos. É importante, anualmente, fazer uma medição da utilização das funcionalidades disponíveis na ferramenta e comparar com o que é realmente utilizado na prática.