NFC-E

A NFC-e é um documento fiscal eletrônico (tecnicamente é um projeto semelhante a NF-e) transmitido para a SEFAZ (Secretaria da Fazenda) do estado no ato da compra através do aplicativo comercial (sistema Maximus NFC-e) utilizado pelo estabelecimento. A transmissão é realizada através de conexão com a Internet.

Com a NFC-e não é mais obrigatória a impressão de um comprovante fiscal no ato da compra - tal como é feito no ECF.

No entanto, se o consumidor solicitar, o estabelecimento imprimirá o Documento Auxiliar da NFC-e (DANFE NFC-e), que permite a consulta do cupom fiscal no formato digital através da leitura de um QR-Code (modelo de código de barras lido com aplicativo de celular/tablet) ou digitando, no portal da SEFAZ do estado, a chave de acesso impressa no documento.

Detalhes

Equipamentos

Equipamentos necessários para trabalhar com Sistema MAXIMUS-NFCe:

  • Microcomputador com acesso à internet;
  • Certificado Digital A1-A3;
  • Impressora NÃO FISCAL ;
  • CSC - Código de Segurança do Contribuinte.

Agilidade

  • Transmissão em tempo Real da NFC-e para SEFAZ;
  • Fim da necessidade de autorização do equipamento previamente pelo Fisco;

Comodidade

  • Integração com programas de incentivos fiscais;
  • Conferência da validade e autenticidade dos documentos fiscais em tempo Real;
  • Simplificação das obrigações acessórias ( Leitura X e Redução Z);
  • Fim da obrigatoriedade do envio do arquivo MFD.

Economia

  • Dispensa o uso de ECF ( Emissor de Cupom Fiscal);
  • Redução de gastos com papel;
  • Permite o uso de impressoras Não Fiscais;
  • Fim das “Intervenções Técnicas” nos ECF’s.

DICAS IMPORTANTES

Fique de olho nas obrigatoriedades em seu estado

Fique atento à legislação sobre a Nota Fiscal do Consumidor eletrônica (NFC-e) em seu estado, para conferir se a obrigatoriedade de emissão já entrou em vigor ou quando vai iniciar. A maioria dos estados adotou a NFC-e como modelo de documento fiscal eletrônico do varejo, porém, alguns estados permanecem com modelo ECF (cupom fiscal), outros determinam o uso do S@T CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor do Cupom Fiscal eletrônico) e outros permitem o conjunto da NFC-e com S@T CF-e.

Busque uma ferramenta adequada para a emissão da NFC-e

Para conseguir emitir a NFC-e é preciso ter uma solução de TI que faça esse processo de forma integrada com a Secretaria de Fazenda Estadual. É importante buscar uma solução que seja fácil de utilizar no dia a dia, e com grande eficiência.

Organize equipamentos e conexões

Com a NFC-e não é mais necessário ter uma impressora fiscal na loja. Basta ter uma impressora simples, o que reduz custos. Como muitas soluções de emissão oferecem versões on-line é importante também conferir a eficiência das conexões de internet para garantir mais produtividade.

Desafios

A internet ainda é uma forte barreira em algumas regiões do país. Links de baixa velocidade podem trazer prejuízos a agilidade do processo. Em horários de pico, esse problema tende a se agravar;

Ainda não existe uma padronização das NFC-e entre todos os estados do país. Estados como São Paulo estão investindo em hardware e software específicos, enquanto grande parte do país aposta em software simples e baratos;

Empresas que atuam nacionalmente podem ser prejudicas pela falta de padronização nacional;

Micro e pequenas empresas podem ter gastos já na implementação, com a compra de equipamentos que suportem a tecnologia. Esse é um desafio que pode trazer consigo o beneficio da modernização da categoria.